O sistema está a sofrer melhorias no âmbito da infraestrutura tecnológica. Em caso de lentidão ou bloqueio, por favor, contacte auc-geral@auc.uc.pt. Esperamos ser breves.

Declarações de recibos de esmolas

Ações disponíveis

Ações disponíveis ao leitor

Consultar no telemóvel

Código QR do registo

Partilhar

 

Declarações de recibos de esmolas

Detalhes do registo

Nível de descrição

Série   Série

Código de referência

PT/CRSI/CIM/CRSI/024

Tipo de título

original

Título

Declarações de recibos de esmolas

Datas de produção

1946  a  2000 

Âmbito e conteúdo

Engloba as declarações das pessoas que receberam esmolas da Confraria da Rainha Santa Isabel, atribuídas a doentes oncológicos ou tuberculosos. É indicado o seu nome, local de residência, freguesia, o valor recebido, o motivo de ter recebido a esmola e qual o seu destino, e ainda um atestado médico, comprovando a situação clínica da pessoa. Em alguns casos é o pároco que declara ter recebido determinada quantia, nomeando as pessoas a quem se destina.

Idioma e escrita

Português

Características físicas e requisitos técnicos

Bom estado de conservação. Notam-se vincos de dobragem e manchas de oxidação pois os processos estavam unidos com um alfinete.

Unidades de descrição relacionadas

A série Actas e eleições. A atribuição ou distribuição de esmolas era decidida em sessão da Mesa da Confraria. Na série Autos de abertura das caixas das esmolas aparece-nos a indicação do destino a dar ao dinheiro. Por exemplo, um envelope com vinte escudos acompanhado de um cartão dizendo: “Oferta feita à Rainha Santa para uma menina que esteja tuberculosa, de 15 a 16 anos” (liv.1 – fl.15); um papel indicando que era para entregar a “pessoas tuberculosas ou cancerosas pobres” (liv.1 – fl.40 e liv.2, fl.2); ou dizendo que o dinheiro se destina a pessoas pobres protegidos da Rainha Santa (liv.2).Na série Correspondência Recebida encontramos um ofício do Dispensário Anti-Tuberculoso de Coimbra, assinado pelo director Armando Gonsalves, acusando a recepção de vinte escudos que haviam sido entregues à Confraria da Rainha Santa para serem dados a uma menina de 15 a 16 anos que estivesse tuberculosa, por exemplo.

Notas

Título atribuído.

Data de publicação

13/05/2021 18:02:21