Classification scheme

Available actions

Reader available actions

Share
 

Confraria da Rainha Santa Isabel

Description details

Description level

Fonds Fonds

Reference code

PT/CRSI/CIM/CRSI

Title type

Formal

Date range

1611 Date is certain to 2010 Date is certain

Holding entity

Confraria da Rainha Santa Isabel

Producer

Confraria da Rainha Santa Isabel

Biography or history

A Confraria da Rainha Santa Isabel, fundada em meados do séc. XVI, é uma associação católica de piedade e caridade, promoção do culto divino, sob patrocínio de Santa Isabel, tem a sua sede na igreja do Mosteiro de Santa Clara e, conforme Estatutos, tem, entre outros, os seguintes fins:

- Promover o culto divino em geral e em especial o culto religioso da Rainha Santa Isabel, mantendo-o e sustentando-o no seu templo;

- Manter em estado de conservação, decência e limpeza a sua igreja;

- Realizar solenes festas em honra da Padroeira de Coimbra;

- Exercer a caridade, subsidiando as Instituições de Beneficência e Obras de socorros a pobres, doentes e necessitados

Livro 2 das Actas e Eleições tem aprovação do novo compromisso, projecto de 1891, com a aprovação do Governador Civil e do bispo, com o intuito de reorganizar da Confraria (fl.9v.-11)

O livro 2 dos Anuais tem escrito o seguinte dizer: “Este livro é dos anuais e para nele se escreverem os nomes dos irmãos desta irmandade que esteve desde a era de 1831 até 1852 sem se fazer procissão nem também admitido irmão algum e só no dia 20 de Julho é que entraram os adiante neste mesmo escritos, e foi nomeada a nova Mesa que há-se funcionar para 1852 e para 1853. O novo procurador José Júlio César”.

Liv.2 Acta de 19 de Maio de 1892 (fl.22) Por despacho ministerial, foi mandado entregar por depósito à Confraria algumas alfaias e objectos pertencentes ao culto da Rainha Santa enquanto a Confraria tiver a seu cargo o culto da mesma Santa. O citado despacho foi comunicado à Repartição da Fazenda Distrital por ofício n.º 26.761 da 2ª Repartição da Direcção Geral dos Próprios Nacionais, em data de 19 de Abril do corrente ano, que se acha transcrito a folhas 32v. no Livro de Registo de Correspondência. De tudo se lavrou termo, com a descrição minuciosa dos objectos entregues à Mesa da Confraria, sendo remetido à Repartição da Fazenda e ficando uma cópia autenticada no arquivo da Confraria.

Foram juízes e presidentes: Pedro Viegas Ferraz (1814), José Teles (1815), Francisco António Duarte Montanha (1816), Bispo Conde (1817-1822), António José de Freitas Honorato (1852-1868), Francisco dos Santos Donato (1876-1883), Manuel de Jesus Lino (1881-1882, 1884-1888), António Garcia Ribeiro de Vasconcelos (1890-1893, 1908-1912, 1927-1931, 1933-1935), Francisco José de Sousa Gomes (1893-1904), José Pereira de Almeida (1922-1923), Sebastião Marques de Almeida (1925-1927), Manuel d’Abranches Martins (1927), João da Providência Sousa e Costa (1931-1933), D. António Antunes, bispo coadjutor (1935-1937), Abel de Mendonça Machado Araújo (1938-1941, 1944-1945), Alberto Ferreira da Silva (1942-1943), Domingos Braga da Cruz (1946-1949), Henrique Fernandes Ruas (1950-1951), Virgílio Joaquim de Aguiar (1952-1953), Inácio Ferreira da Cunha (1954-1955), Bento Rodrigues da Silva Marques (1956-1958), engenheiro José Reis Gonçalves (1959-1962), José Marques Correia Nunes (1963-1964), Mário Alberto dos Reis Faria (1967-1969), José Carlos de Sá Pereira do Lago (1971-1972, …-1995), Aníbal Pinto de Castro (1995-2010).

Foram juízas: Condessa de Canas (1876).

Foram escrivães e secretários: José Maria Osório (1814), José Xavier Teles (1815), Joaquim de Seixas (1816), Manuel José Pereira (1817), Tomás da Cunha (1818), Manuel Abílio Simões de Carvalho (1852-1873), Miguel António de Sousa Horta (1876), José Júlio César (1881-1888), António José da Costa (1889-1890), José Ferreira Barbedo Vieira (1891-1897), António Dias Themudo (1909-1913), António Augusto Marques Donato e António Augusto Lourenço (1925-1927), João Simões da Fonseca Barata (1927-1929), Albano Júlio Marques Perdigão (1928-1933), António Augusto Neves (1933-1935), Álvaro Marques Perdigão (1935-1937), Álvaro Pereira Forjaz de Sampaio (1838-1839), Carlos Alberto da Costa Reis (1940-1941), Francisco António Cardo Júnior (1942-1943), Joaquim António Garcia de Andrade (1944-1945), António Joaquim de Sampaio (1946-1947), Adrião Hermínio Ferreira do Amaral (1948-1951), alferes Jaime Alves Simões (1952-1955, 1963-1964), Eduardo Alves Pinho Simões (1956-1958), Manuel Correia (1959-1962), José Carlos de Sá (1967-1969), Silvino António Lança (1971-1972, 1995).

Foram escrivãs: Cândida Augusta Pessoa Leite (1876).

Foram vice-secretários: Januário Damasceno Ratto (1891-1893), José da Costa Braga (1893, 1896), João Pereira Machado (1927-1929), José Pereira Machado (1927-1929), Francisco da Costa Gaiato (1929-1930, 1931-1935), Adriano Marques (1929-1931), António Augusto Neves (1935-1937), Raul Mário da Silva (1938-1939, 1944-1947), Serafim Rodrigues de Jesus (1940-1941), Serafim Rodrigues de Jesus (1942-1943), Manuel Correia (1948-1949), José Maria Almeida Ribeiro Saraiva Donas Boto (1950-1951), Bento Rodrigues da Silva Marques (1952-1953), capitão Tristão da Cunha Caldeira Carvalhais (1954-1955), tenente António Dias da Silva (1956-1958), engenheiro Mário Jorge (1959-1962), engenheiro Luís Alberto Figueiredo do Vale (1963-1964), Nicolau Pinto dos Santos (1967-1969), Ernesto Domingues Soares Santos (1971-1972).

Foram procuradores da Irmandade: Luís Teotónio Clama, alferes (1778-1781), Francisco José dos Reis (1782-1783), Jerónimo Ferreira (1783-1784), Joaquim Gonçalves (1784), António de S. Bento (1785-1786), Manuel Pires (1786-1787), José Lopes (1787-1788), Manuel Nunes de Avelar (1788-1789), António Francisco da Conceição (1789), João da Silva (1790-1791), José António Saraiva (1791-1792), José Pedro Tavares (1792-1793), José António Saraiva da Fonseca, padre (1794-1795), António José da Rosa (1795-1796), António Alvares de Carvalho (1796), José Lopes (1797-1798, 1801), Manuel Freire (1798), Manuel Martins (1799-1800), José Rodrigues Troia (1799-1800), Diogo Francisco (1801), Manuel de Oliveira (1801), Francisco da Costa (1803), José Filipe Pereira (1804), José Joaquim Nunes de Avelar (1804-1806), José Caetano (1807-1808), João José da Conceição (1809; 1814-1815), Marcos José (1810), José de Santa Clara (1816-1819), Caetano da Assunção (1819-1820), José Fernandes (1820), João de Oliveira (1821), António Ferreira Rainho (1822), João António (1823), José Ferreira (1824), Manuel Duarte dos Casais (1824), António Alves de Carvalho (1825-1829), António Cardoso (1826), Custódio António Joaquim (1830), José Pires de Sousa (1831-1832), José Júlio César (1852-1880), José Gomes Pais (1881-1882, 1884-1888), José Ferreira Barbedo Vieira (1889-1890), Júlio Machado Feliciano (1891-1893), Francisco Maria de Sousa Nazaré Júnior (1895-1896), José de Sousa Feiteira (1909-1913), Sérgio Lopes de Campos (1925-1927), Caetano da Cruz Rocha (1927-1929), António Marques (1928-1933), José da Cruz Costa (1933-1935), Plínio de Abreu e Vasconcelos (1935-1937), Carlos Maria Mesquita (1938-1939, 1942-1943), Joaquim António Garcia de Andrade (1940-1941), José da Cruz e Costa (1944-1947), padre Abílio Costa (1948-1949), Manuel Correia (1950-1951), Bernardino Rodrigues da Costa (1952-1953, 1956-1958), Francisco Luís de Carvalho Galvão de Figueiredo (1954-1955), José Carlos de Sá (1959-1962), José Carlos de Carvalho Telo de Morais (1963-1964), José de Almeida Coelho (1967-1969), engenheiro Fernando Gomes da Costa (1971-1972).

Foram Procuradoras: Clara Leite da Silva Oliveira (1876),

Foram tesoureiros da Irmandade: João da Silva (1794), José Carvalho (1814-1815), António Bento (1816-1818), Joaquim Pedroso (1819), Manuel Rodrigues (1820), Manuel de Semide (1821), Joaquim de Oliveira (1822), José Lopes Pires (1823), Manuel de Oliveira de Bordalo (1824-1825), José de Santa Clara (1825-1830), António da Conceição (1830-1831), Joaquim Fernandes Rainho (1831), José Aires (1832), Joaquim António dos Santos (1852-1853), João Marques Perdigão (1854), António Pessoa (1855-1857), Domingos António de Freitas (1858-1878), Miguel Dias Barata (1881-1882, 1884-1888), Miguel José da Costa Braga (1895-1896), Francisco José da Costa (189

Geographic name

Unidades Territoriais de Portugal (UTP) > Continente > Coimbra > Coimbra

Descriptive location

Coimbra

Custodial history

Na 1ª sessão (de instalação) da nova mesa para o biénio de 1927-1929 dá-se conta que no arquivo da Confraria faltam alguns livros importantes e indispensáveis, que a Mesa que terminara o seu mandato a 30 de Junho de 1893 ali deixara, entre os quais: o livro dos termos de nomeação dos irmãos beneméritos e de admissão dos confrades e o inventário de todas as alfaias, valores e bens da Confraria, e catálogo dos livros e documentos pertencentes à secretaria e arquivo (Acta de 30 de Junho de 1927, liv.3 – fl.12v.). O vogal António Augusto Lourenço entregou a Caetano da Cruz Rocha dois livros do arquivo da Confraria que por esquecimento se encontravam em sua casa; um era o desaparecido livro de matrícula dos confrades e o outro, datado de 15 de Julho de 1916, tem os nomes de 163 mulheres que foram admitidas como associadas (Acta de 26 de Julho de 1927, liv.4 – fl.1).

Faltam igualmente dois livros de actas, um com datas entre 1896 e 1911, e outro que compreende as sessões realizadas no período entre 10 de Outubro de 1911 e 12 de Agosto de 1913, designado como o quarto livro de actas em sessão de 11 de Julho de 1927 (Actas e Eleições, liv.3 – fl.17).

Acquisition information

O vogal António Augusto Lourenço entregou a Caetano da Cruz Rocha dois livros do arquivo da Confraria que por esquecimento se encontravam em sua casa; um era o desaparecido livro de matrícula dos confrades e o outro, datado de 15 de Julho de 1916, tem os nomes de 163 mulheres que foram admitidas como associadas (Acta de 26 de Julho de 1927, liv.4 – fl.1).

Scope and content

Regista as actas da Mesa da Irmandade, as actas dos termos de eleição e dos autos de posse da Mesa, e as actas da Assembleia Geral, onde são abordados os mais diversos assuntos da vida da Confraria. Também a partir dos copiadores de correspondência e da correspondência expedida e recebida ficamos a conhecer as relações que a Confraria mantém com personalidades, empresas, instituições de diversa natureza, quer a nível citadino, quer a nível local e até mesmo a nível nacional e internacional, estes último sobretudo com a cedência de peças do Museu privativo da Confraria para exposições.

Ilustra a dinâmica da Confraria com os pedidos de admissão de irmãos e de confrades, os livros de matrícula dos irmãos associados, os termos de admissão de confrades e as fichas de irmãos falecidos.

Engloba documentação que regista a acção da Confraria ao nível da promoção do culto à Rainha Santa Isabel, nomeadamente com a organização da festividade em sua honra, visível na série Festas da Rainha Santa Isabel e Programas das festas religiosas em honra da sua Padroeira e também na Correspondência Expedida, Correspondência Recebida e Copiador de Correspondência, sobretudo com os convites feitos a diversas individualidades para incorporarem as procissões da noite e da tarde em honra da Rainha Santa Isabel.

Inclui documentos que retratam a actividade económica da Confraria como os livros de Receita e Despesa da igreja, da Irmandade, da Secção do Recordatório, assim como os recibos e as facturas da Secção Comercial, sobretudo com a aquisição de artigos religiosos para venda. Encontramos igualmente o registo das esmolas entregues no mosteiro de Santa Clara e das ofertas em géneros feitas à Confraria da Rainha Santa, e, por outro lado, as esmolas que eram entregues pela Confraria a doentes tuberculosos ou oncológicos, destinadas às consultas e compra de medicamentos.

Inclui também inventários, plantas, desenhos, projectos, vertente mais direccionada para o edifício do extinto convento de Santa Clara-a-Nova, espaço ocupado pela Confraria.

Arrangement

Foram identificadas 35 séries documentais, 7 subséries e uma secção: Casa de Formação Cristã da Rainha Santa. As séries seguem uma organização cronológica interna.

Na série Correspondência Expedida foram identificadas duas subséries: Correspondência Expedida – Secção do Recordatório e Correspondência Recebida - Secção Comercial; e na série Correspondência Recebida foram identificadas cinco subséries: Correspondência Recebida – Secção do Recordatório, Correspondência Recebida – MUSEUS, Correspondência Recebida – António Maria Ribeiro, Correspondência Recebida – Telegramas e Correspondência Recebida - Secção Comercial; na série Festas da Rainha Santa Isabel foi incluída a subsérie Exposições.

O livro encadernado com título “Documentos Valiosos” foi desmembrado e cada documento inserido na respectiva série. Foi realizado este processo por se verificar que os documentos encadernados nada tinham de comum entre si, à excepção de se reportarem aos anos de 1890 a 1893, e porque outra documentação avulsa se relacionava com aquela aqui mencionada, achando por bem que esta ficasse reunida. Também se achavam encadernados dois livros e estampas.

Language of the material

Português, latim, espanhol, francês, inglês, alemão, japonês.

Physical characteristics and technical requirements

Bom estado de conservação; alguns dos livros apresentam as lombadas fragilizadas ou mesmo ausência de lombada; vestígios de oxidação, sobretudo na documentação avulsa; vincos de dobragem, rasgões.

Other finding aid

Sumários dos documentos avulsos das séries, e respectivas subséries, Correspondência Expedida e Correspondência Recebida (2011).

Related material

Arquivo da Universidade de Coimbra. Real Mosteiro de Santa Clara (F) – Repartição da Fazenda (F) – Arquivo do suprimido Mosteiro de Santa Clara (SF).

Arquivo da Universidade de Coimbra. Governo Civil de Coimbra (F) - Copiador de correspondência recebida de Irmandades, Confrarias, Paróquias e outras entidades Concelhias (SR); Orçamentos de receita e despesa de instituições de Assistência - Irmandades, Confrarias e Misericórdias – concelho de Coimbra (SR); Regulamentos e Estatutos de instituições de Assistência - Irmandades, Confrarias e Misericórdias – concelho de Coimbra (SR).

Arquivo da Universidade de Coimbra. Cúria Diocesana (F) – Câmara Eclesiástica (SC) Processos de Profissão religiosa e entrada de seculares e educandas – Santa Clara (1708-1834) (SR); Processos para sair da clausura – Santa Clara (1712-1714) (SR); Processos para ter criadas, serventuária ou educanda – Santa Clara (1703-1825) (SR)

Arquivo da Universidade de Coimbra. Colecções Particulares – Salema Garção (FD) - Festividades dedicadas à Rainha Santa Isabel, em Coimbra (1873-1915) (SR).

Imprensa da Universidade (F)

Venerável Ordem Terceira da Penitência de São Francisco (F) – Correspondência Recebida (SR).

Arquivo da Diocese de Coimbra – Secção de Confrarias.

Arquivo Histórico Municipal. Comissão Municipal de Turismo (F) – Turismo (SC) – Comissão de Festas da Rainha Santa (SSC)

Publication notes

450 anos da Confraria da Rainha Santa Isabel – catálogo da exposição. AUC. 2010.

Notes

Foram consultadas as seguintes obras:

450 anos da Confraria da Rainha Santa Isabel – catálogo da exposição. AUC. 2010.

CORREIA, Sandra – Inventário da Documentação de Turismo do Arquivo Histórico Municipal de Coimbra. Coimbra Património. Vol.15. Câmara Municipal de Coimbra: Coimbra, Setembro de 2009.

FIGANIÉRE, Frederico Francisco de la – Memórias das Rainhas de Portugal. D. Theresa-Santa Isabel. Typographia Universal: Lisboa, 1859.

VASCONCELOS, António de – Dona Isabel de Aragão (A Rainha Santa). Arquivo da Universidade de Coimbra: Coimbra, 1993. Vols. I e II.

VASCONCELOS, António de – O refúgio da Rainha Santa e o seu fundador: Dr. António de Vasconcelos. Confraria da Rainha Santa Isabel: Coimbra, 1942.